Boderline,instavel fronteira

Borderline, instável fronteira

Já comentei isso aqui no blog algumas vezes: a doença psiquiátrica ainda é um tabu.

Se uma pessoa tem uma doença física grave, como um câncer, por exemplo, ela não é

desvalorizada nem estigmatizada por causa disso. As pessoas acreditam no que veem:

uma ferida exposta, uma radiografia… Mas se a doença é da mente, a história é outra.

Em muitos casos, os outros nem acreditam que se trata de uma doença.

Desde que começou a me atender, meu psiquiatra vem buscando um diagnóstico para os

problemas que apresento. Não concordava que eu era apenas ansiosa e que tinha

depressão. Ele achava (e eu também) que não era uma depressão clássica, e sim uma

grande tristeza provocada por minha história de vida e pelos traumas que ainda carrego

comigo. Até que ele encontrou o diagnóstico!

Tenho muitos altos e baixos, um vazio eterno, medo de lugares com muita gente,

inconstância, muita dificuldade em terminar o que começo, dificuldade nos

relacionamentos, qualquer coisa pode me tirar do sério, muito sensível, auto motilaçao , fama de furona

porque muitas vezes não consigo ir a compromissos que combino… E isso me deixa muito triste pois nao gosto de decepcionar ninguem.

Nossa! É muita coisa, não é? Mas não é bem isso.

Aprendi que uma pessoa borderline muda de humor várias vezes ao dia. Acorda bem e,

de repente, do nada, pode começar a sentir medo, tristeza, vazio, vontade de se isolar, chorar sem saber porque, sentir-se

desesperada, com vontade de morrer… E quando isso acontece? Como ir a um

compromisso, mesmo sabendo ser importante? Não tem como! Então é preciso mais

uma vez desmarcar, explicar que não vai poder ir… Sei que é horrível para quem

marcou comigo, mas para mim é muito ruim também.

O borderline é cheio de sentimento e se preocupa muito com o outro. Ele se culpa, ele

quer cuidar do outro, ele é controlador. O seu problema é que ele está sempre à beira de

alguma coisa… Nunca sabemos como ele vai acordar, como vai estar à tarde e por aí vai.

Sempre fui julgada e eu mesma me castigava quando não conseguia manter um

compromisso, por exemplo. Eu não entendia por que fazia isso. Eu queira tanto ver

aquela pessoa, ou fazer aquele programa, mas de repente não aguentava ir. Não era

sempre, mas acontecia. E aí? O que fazer?

Meu médico me disse que eu tenho que aceitar minha doença. Que eu tenho esse

transtorno e que agora, sabendo que tenho, posso explicar isso à minha família e aos

meus amigos. Quem não entender… é uma pena, mas quem me ama de verdade vai

entender, acreditar e apoiar.

Infelizmente eu sofro muitos julgamentos. Mas terei que viver com isso. Espero que

aqui no blog, e junto com vocês, seja possível ajudar a transformar um pouco essa

mentalidade. Informando as pessoas sobre essas questões.

Imagine se você sofresse de uma doença que machuca, que limita, que deixa você muito

mal, e ainda por cima ter que escutar das pessoas que é tudo frescura? “Você não tem

nada, se levante, vamos lá!”

Imagine alguém sofrendo, chorando, e mesmo assim sendo julgada, como se estivesse

inventando aqueles sintomas. Eu até entendo, pois as pessoas não conhecem as doenças

psiquiátricas. Eu mesma não conhecia minha doença, eu mesma me julgava. Eu mesma

ainda não aceito meus limites estou sempre me cobrando fazer mais do que posso. Mas

estou trabalhando nisso. Usando o mantra “Só por hoje”.

Agora estou pisando em uma terra mais firme e me sinto mais segura.

O borderline tem uma dificuldade enorme em manter relacionamentos duradouros,

porque seu maior medo é ser abandonado. Ele tem um vazio que não é preenchido com

nada. Esse vazio é traço da doença.

Você conhece algo sobre isso, querido leitor?

Já viu casos assim? Já vivenciou problemas desse tipo?

Vamos trocando ideias e histórias? Vamos nos ajudar? Eu também preciso do apoio de voces. Beijos, Isa

chorando.jpg

  • LudoXande Soares

    Isa, vivi muito essa situação. O que me deixava mais triste era saber que não podia contar com quem eu mais amava, pois eles diziam que era frescura. Foi quando descobrir que somente em Deus teria força para superar tudo. Hoje a minha fé e vontade de viver melhor é que me sustenta.
    Decepção, problema… sempre teremos, mas com Deus somos mais que vencedores.
    Guarde esse versículo bíblico Mateus 11:28-30: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.
    Um abraço e fique com Deus

  • Toninho Da Matta

    Você querida, já percebeu, que em qualquer das suas fronteiras pode contar com a minha compreensão ,apoio e o carinho eterno do seu amigo , Toninho!