Fim de um casamento

Recebi esta mensagem de uma leitora do blog, que me autorizou a compartilhar com vocês:

“O que estou sentindo hoje é meio surreal. Estou me separando de um homem maravilhoso, que sempre fez tudo por mim, é meu melhor amigo, mas eu só o amo como amigo. Ele quer mais, é claro, e eu também. Por alguns anos temos tentado um sentimento mais forte, de amor apaixonado, mas não conseguimos mais do que uma boa amizade, o que não é pouco. Só que estou com um vazio do tamanho do mundo.

Decidi me separar, mesmo sentindo medo de ficar longe dele, de não ter mais a companhia dele no dia a dia, da segurança emocional que ele sempre me proporcionou, dos programas simples que a gente gostava de fazer, como ficar vendo qualquer coisa na televisão, às vezes uns programas bobos, mas que para nós eram tão bons!

Tudo que fazíamos juntos era legal. Mas, de uns tempos para cá, a gente vem brigando muito. O motivo da briga está claro para mim: ele sente falta de uma mulher que o ame como homem, e eu sinto falta de alguém também que me ame como mulher.

Não dá para viver para sempre com uma pessoa só porque ela é gente boa e porque você gosta muito dela. É precisa ter PAIXÃO. Por mais que a paixão diminua com o tempo de convivência no casamento, ela precisa estar presente em algum momento. Para mim, é o que faz você ter forças para lutar e querer continuar casado. Casamento já é difícil, então tem que ter algum sentimento forte, especial. Isto não existia entre nós, nunca existiu, na verdade. E sofremos muito por esse motivo.

Tentamos, fizemos de tudo para não nos separarmos, mas não teve como. Precisamos ser felizes. Livres! Não dava para vivermos infelizes, os dois, vivendo juntos apenas por medo de perder um ao outro. O que sentimos um pelo outro é tão especial e importante que estávamos aceitando a infelicidade para continuarmos juntos. Mas isso não dá certo.

Agora nos separamos. Vamos ser amigos. Temos um bebê juntos.

A minha luta agora será diária, e também a dele, contra a saudade, o vazio, o medo, a solidão… e a vontade de estarmos juntos, mas não podendo estar, pelo nosso bem.

O único jeito é viver um dia de cada vez e ter Fé que Deus confortará nossos corações com seu grande amor.

Separação é um luto e, como todo luto, causa muita dor. Uma dor que nos faz crescer e nos ensina que tudo passa. Já passei por dores assim, e sei que esta passará também. E agora me sinto mais segura para passar um pouco de remédio no machucado, quando precisar. Hoje, por exemplo, doeu muito acordar de manhã e tomar café ao lado dele e do bebê, sabendo que daqui a alguns dias não vamos mais ser essa família que eu tanto queria. Mas não me entreguei a essa dor, nem a esse pensamento. Peguei meu bebê, me vesti e saí para caminhar, orando a Deus para me dar forças.

A saudade bate o tempo todo e eu vou aos poucos aprendendo a usar alguns “remédios” para conseguir seguir em frente. E foi assim: quando a dor apertou, fui caminhar com o bebê e me senti melhor. Minha segurança em mim mesma também melhorou. Esse foi o remédio de hoje. Espero que ele continue sendo meu amigo e presente em minha vida e de nosso filho. 

Sei que com apoio das pessoas próximas vou superar essa fase com menos medo. Principalmente com o apoio dele, que está sendo muito bom para mim, assim como eu procuro ser para ele, apesar da separação.

Obrigada, Isabela, por ler este desabafo!  beijos

 

Resposta:

Entendi bem sua situaçao , os sentimentos humanos são bem mais complexos do que as fórmulas prontas de relacionamento que a sociedade nos impõe. Descubra a sua verdade, no seu coração. E continue valorizando o amor por esse companheiro, que será para sempre o pai do seu filho e um grande amigo seu. Felicidade. Acredite no seu sentimento, focado na vontade de ser feliz. Beijos da Isabella.

 

blog+ciume.jpg

  • Thaissa Gorberg

    Eh realmente muito difícil mas com o passar do tempo você vai superar!! O melhor remédio e o tempo!! Bjs