Ficção e vida real

 Bom dia meus queridos leitores,
Amo novelas. Chego a gravar capítulos quando não posso assistir na hora, para ver no dia seguinte com meu filho. Isso aconteceu com a “Avenida Brasil”, que deixou saudades. Foi uma febre no Brasil e agora vai se espalhar para o mundo afora. Tocou os corações de milhões de pessoas, inclusive o meu. Já estou com saudades.

Eu ficava esperando pela hora do capítulo de cada dia. Os personagens eram carismáticos, simples, alegres, apaixonados, vivos, com sangue correndo pelas veias, e sempre rodeados da família e amigos.
O fato de ser focada no subúrbio motivou um aconchego nas pessoas. No subúrbio, como em cidades de interior, a vida é mais simples, todos se conhecem uns aos outros. Você pode estar triste um dia, solitário, mas é só sair de casa e ir para um bar, para a praça, a sorveteria, a casa do vizinho, que logo é acolhido e se sente melhor. As pessoas visitam mais os amigos, tomam cafezinho com bolo na casa um
do outro. As famílias se reúnem mais.
Morei muito tempo em cidade pequena, com minha família. A vida era gostosa e aconchegante. Não esta vida corrida que temos na cidade grande, onde mal sobra tempo de sentar para almoçar com os familiares. Acabamos vivendo mais conectados na internet do que pessoalmente com nossos amigos. Essa correria me deixa triste, porque para mim a família e os amigos são prioridades, mas infelizmente não tem jeito: temos que correr atrás e dançar conforme a música.  Se pudesse, voltaria a morar no interior. Só não volto porque tenho um filho de 16 anos e, para ele, nesse momento, não seria bom.
O elenco da “mansão” do Tufão me cativou pela simplicidade e pelo valor que davam à família. A mesa cheia de familiares no café da manhã, no almoço e no jantar. Eu me via ali, queria fazer parte daquela família unida. Tive uma família assim por pouco tempo, no início da minha infância, e me lembro que foram os melhores anos de minha vida. Agora, quero isso de novo.
Uma casa cheia e todos se ajudando. Muita gente, além de mim, busca exatamente isso. Nunca vi tanta gente no mesmo dia postando, no Fb e no Twitter, comentários emocionados sobre a novela, em seus últimos capítulos.

Todos ligados ao mesmo tempo para acompanhar o drama da família e torcer pelo Tufão.

O personagem do ex-jogador de futebol, interpretado genialmente por Murilo Benício, conquistou nossos corações com seu jeito inocente de ser. Ingênuo, carinhoso, bom pai e marido. Um homem famoso e rico que tinha os valores corretos, hoje raros em uma pessoa só, principalmente na posição dele. O seu amor incondicional pelos filhos me deixava sempre emocionada. Queria que o carinho e as palavras dele para o filho fossem para mim, como se viessem de meu pai. O autor da novela construiu um personagem baseado em nossas carências. Todos nós queríamos uma pessoa assim a seu lado, como pai, filho, amigo ou marido. Ele mostrava segurança, confiança, amizade, caráter, inocência e o mais belos dos sentimentos: amor. O mundo está carente desses valores e sentimentos.
As novelas de TV sempre fizeram parte de minha vida. Fui criada em companhia dessas histórias em capítulos e dos livros que eu lia. Eram para mim uma referência afetiva das mais importantes. Uma tábua de salvação. Ou me ligava emocionalmente àquelas histórias e tentava pegar o que houvesse de melhor naqueles exemplos, ou não teria referência alguma. Acho que por isso sou tão romântica e sonhadora. Eu me apego até às músicas das novelas. Muitos sentem a mesma coisa mas poucos
assumem como eu. Vivo até hoje como uma eterna sonhadora.
O que todo ser humano quer e precisa, acima de tudo, é amar e ser amado. Na fantasia de uma novela, de algum modo nos sentimos parte do amor que ali acontece todas as noites, invadindo nossas almas.
Aproveite o clima que Av. Brasil deixou e convide alguém de sua família para um dia típico de subúrbio ou de interior . Exponha seus sentimentos, assuma esse amor que está dentro de todos nós. A felicidade está nas coisas mais simples da vida, como sempre digo aqui neste blog. Está iludido quem acha que precisa de muita coisa para ser feliz. A felicidade está ao seu lado. É só você encarar a sua vida com outro olhar.
Beijos com carinho, Isa.