Mal que a droga faz a família

   Bom dia queridos leitores e amigos,

 Hoje vou falar do mal que a droga faz para a pessoa que usa e para sua família.
Sou filha de ex dependente químico , convivi com esse problema dentro de casa por 25 anos. Meu pai foi dependente de cocaína e a cada dia que passava foi adoecendo mais. Ele começou as drogas para tirar a timidez e em pouco tempo estava totalmente dependente da substância. Ele sofreu muito e junto com ele toda nossa família.. O dependente químico usa a droga, se anestesia, e não tem consciência do mal que está fazendo a ele mesmo e aos que estão ao seu redor, causando desequilíbrio, instabilidade e destruição. 


    É muito doloroso  você ver seu pai ou qualquer pessoa que você ama morrendo aos poucos, perdendo o controle, limites, razão e princípios. 
O dependente perde a noção do que é certo ou errado e vive um mundo de fantasia onde só ele vê   a vida daquela forma e torna-se  extremamente difícil conviver  com essa pessoa adoecida.
    Eu sofri muito  tentando  ajudar meu pai , queria curá- lo   mas ele não conseguia ter consciência do problema tornando-se impossível qualquer tipo de ajuda, como acontece na maioria dos casos. Desta forma os familiares sentem-se de mãos atadas diante de um quadro muito complicado. 

    Porém um  dia resolvi cuidar da minha vida pois constatei que como familiar de um dependente estava doente também. Procurei um médico psiquiatra na época pois  a família adoece junto com o dependente e precisa de ajuda tanto quanto o dependente químico. Na época meu psiquiatra receitou remédios, tratamento psicanalítico  e um grupo de apoio para a  família de usuários de drogas, chamado   Naranon.


     Foi assim que comecei  um tratamento sério com psicanalista Dr José Alberto Zusman, numa jornada pessoal  e fui me libertando de uma história que não era  minha e sim de meu pai.
 Matriculei-me  na faculdade de jornalismo, freqüentei o Naranon, me dediquei a educação de meu filho, fui morar sozinha, entrei em uma academia e com a ajuda de meu médico , amigos e família pude recomeçar minha vida. 
  Hoje estou vivendo uma vida tranqüila onde tenho paz. Estou terminando a faculdade, criei esse blog sobre comportamento onde escrevo o que sinto e assim também posso ajudar as pessoas que passaram pelo mesmo problema que eu e estou terminando minha biografia.
Meu filho esta com 16 anos é um menino alegre, ótimo aluno e saudável consegui educá- lo  longe dos problemas que vivi e dar a ele uma vida mais equilibrada do que a que tive . Lutei muito para chegar onde estou e vou lutar cada dia mais, pois quero melhorar sempre. A vida é uma eterna luta para chegarmos onde queremos.

Isso é um pouquinho da minha história. Talvez você identifique-se, ou mesmo conheça alguém próximo que passa por situação semelhante.

Primeiro passo é saber porquê a família precisa de ajuda e tratamento, visto que não é ela que utiliza a droga.

Então vamos lá.

Por que a família precisa de ajuda?

O familiar do dependente químico adquire uma síndrome chamada codependência.

·       Codependência é um transtorno emocional definido e conceituado por volta das décadas de 70 e 80, relacionada aos familiares dos dependentes químicos, e outros problemas sérios da personalidade.

·       Os    codependentes vivem tentando ajudar a outra pessoa, esquecendo, na maior parte do tempo, de cuidar de sua própria vida, auto-anulando sua própria pessoa em função do outro e dos comportamentos insanos do dependente químico.


·       A Codependência se manifesta de duas maneiras: como um intrometimento em todas as coisas da pessoa problema, incluindo horário de tomar banho, alimentação, vestuário, enfim, tudo o que diz respeito à vida do outro. Em segundo, tomando para si as responsabilidades do outra pessoa. Evidentemente, ambas atitudes propiciam um comportamento mais irresponsável ainda por parte da pessoa problemática.


·        codependência possui  um conjunto de padrões de conduta e pensamentos (patológicos) que, além  compulsivos, produzem sofrimento. O codependente almeja ser, realmente, o salvadorprotetor ou consertador da outra pessoa, mesmo que para isso ele esteja comprovadamente prejudicando e agravando o problema do outro.


Vemos que o  problema do codependente é muito mais dele próprio do que da pessoa problemática e, normalmente, a nobre função do codependente depende da capacidade de ajudar ou salvar a outra pessoa, que sempre é transformada em vítima e não responsável pelos próprios problemas.

Queridos leitores, vemos então que, se quem ajuda se esquece de si mesmo, se entrega à vida da outra pessoa problemática, então estamos diante de uma patologia chamada  Codependência.

Se você se enxergou neste cenário ou conhece alguém vivendo neste contexto não hesite em procurar ajuda, pois  a codependência é uma resposta patológica do familiar do dependente químico resultando na falta de paz, comportamentos problemáticos levando à perda de felicidade e equilíbrio.

.
 Não existe nada mais importante na vida do que nossa própria vida e saúde ! 
Em breve poderei ajuda los mais com meu livro e outros projetos que tenho em mente .

A saúde mental e física é o que mais temos de precioso.
 Dê valor a sua vida e cuide bem dela!  
Um beijo com carinho , 
Isa

  • http://www.blogger.com/profile/00781428761964628307 sonia medina

    Muito importante seu trabalho,vai me ajudar bastante

  • FABIANE

    Estou passando por isso. Sou uma codependente e estou muito infeliz em ver esse meu familiar se acabando.

  • Elias Climaco

    Muito interessante a matéria, nossa empresa trata de dependentes químicos e alcoólicos.

    Confira em nosso website.
    http://www.clinicaorion.com.br

  • Elias Climaco

    Muito interessante a matéria, nossa empresa trata de dependentes químicos e alcoólicos.

    Confira em nosso website.
    http://WWW.clinicaorion.com.br